Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 8 de junho de 2010

AS CONTRADIÇÕES DO SISTEMA CAPITALISTA

                                                                      As Contradições do Sistema Capitalista
                                                                    Parte I

  Karl Marx descreveu nas suas obras as principais contradições do sistema capitalista.

  Para perceber melhor o seu raciocínio, é necessário ter presente que o sistema capitalista assenta na teoria da exploração do trabalhador, e no seu conceito fundamental: a apropriação privada da Mais-Valia.

"(...) Segundo Marx, o lucro não se realiza por meio da troca de mercadorias, que se trocam geralmente por seu valor, mas sim em sua produção. Os trabalhadores não recebem o valor correspondente a seu trabalho, mas só o necessário para sua sobrevivência. Nascia assim o conceito da mais-valia, diferença entre o valor incorporado a um bem e a remuneração do trabalho que foi necessário para sua produção. Não é essa, porém, para Marx, a característica essencial do sistema capitalista, mas precisamente a apropriação privada dessa mais-valia. A partir dessas considerações, Marx elaborou sua crítica do capitalismo numa obra que transcendeu os limites da pura economia e se converteu numa reflexão geral sobre o homem, a sociedade e a história.(...)
   Portanto Marx afirmava que a força de trabalho era transformada em mercadoria, o valor de força de trabalho corresponde ao Socialmente necessário.
Tudo estaria bem, contudo o valor deste Socialmente Necessário é um problema. Na realidade o que o trabalhador recebe é o salário de Subsistência, que é o mínimo que assegura a manutenção e reprodução do trabalho.
   Mas apesar de receber um salário, o trabalhador acaba por criar um valor acrescentado durante o processo de produção, ou seja, fornece mais do que aquilo que custo, é esta diferença que Marx chama de Mais Valia.
   A Mais Valia não pode ser considerada um roubo, pois é apenas fruto da propriedade privada dos meios de produção.
   Mas, os Capitalistas e os proprietários, procuram aumentar os seus rendimentos diminuindo o rendimento dos trabalhadores, é, pois esta situação de exploração da Força de Trabalho pelo Capital que Marx mais critica.
   Marx critica a essência do Capitalismo, que reside precisamente na exploração da força de trabalho pelo Produtor Capitalista, e que segundo Marx, um dia haverá de levar à revolução social. "
   A contradição é clara, o trabalhador é na realidade a origem do valor. Mas sendo a sua origem, não é este que se apropria do valor criado, mas sim o Produtor Capitalista, que possui os meios de produção.
   Na segunda parte do artigo serão referidas as duas restantes contradições do sistema Capitalista. A tendência para a Diminuição da Taxa de Lucro e a de Concentração do Capital ( logo Monopolização ).
   Este artigo, bem como os seguintes sobre esta temática baseia-se, numa análise realizada aos conceitos marxistas. Todos os excertos foram daí retirados.
   As Contradições do Sistema Capitalista - Parte II

Tendência para a Diminuição da Taxa de Lucro
   Para Marx, a Taxa de Lucro era o raciocínio da Mais Valia - MV - sobre a soma do Capital (capital constante - C - mais capital variável - V- ).
   Se C/V for igualado a X. Temos que C=XV, logo a Taxa de Lucro = MV/v(1+x) = MV/v * 1/(1+x).
  Ora a tendência do Capitalista é a acumulação de Capital. Isto implica um aumento de X (Derivado da inovação tecnológica utiliza-se cada vez mais máquinas, logo, sobe o peso do Capital Constante).
  Ora aumentando X (Pois o valor de C aumentou), aplicando a fórmula acima, facilmente se vê que a taxa de lucro desce.
   Para Marx este movimento pode ser contrariado pela exploração da Força de Trabalho (aumentado dessa forma o V, o que implicará um aumento da Mais Valia (MV), logo um aumento da taxa de Lucro).
  Esta análise está fortemente condicionada pela análise do Valor que Marx faz. Para Marx apenas a Forçado Trabalho cria Valor, pois o restante capital (meios de produção) apenas o transmite.
   Segundo esta lógica, há de fato uma tendência para a baixa taxa de lucro.
   O que Marx não refere (e convém sempre salientar que toda a análise tem que se enquadrado no seu ambiente histórico) é que o Progresso Tecnológico reduz os custos dessa mesma Tecnologia (Ou seja, o V não aumenta, mas sim diminui).
   Também não levam em consideração na suas análises os efeitos da crescente produtividade. Ora mantendo a mesma força de trabalho, a mesma quantidade de trabalho gera mais valor, por via do crescimento da sua produtividade do trabalho (ou seja, a Mais Valia de cada Trabalhador também aumenta).
   Logo, não existe uma tendência para a baixa da taxa de lucro, mas sim uma tendência para a subida da taxa de lucro.
   O Raciocínio de Marx, caso não tomássemos em consideração os efeitos do crescimento da produtividade, está completamente certo. Contudo, o aumento da produtividade do trabalho, aumenta a Mais Valia de cada trabalhador, e o progresso tecnológico diminui os custos dos Meios de Produção.
   Temos, pois que a tendência do Sistema Capitalista é a subida da taxa de Lucro, por via de: - Aumento da Mais Valia (por causa da subida da produtividade de cada trabalhador), e diminuição dos custos do Capital Constante (por causa do progresso tecnológico). "
   Esta análise assume como erro de Marx os aspectos referentes à evolução tecnológica, nomeadamente o efeito de redução de V (Capital Variável). Esse raciocínio apesar de coerente, não contempla os custos associados à investigação e instalação das novas tecnologias. Nomeadamente que este processo de investigação é contínuo, de modo a que o produtor Capitalista tenha capacidade para se impor no mercado.
   O tempo necessário para a rentabilização das novas tecnologias (ultrapassando a perda realizada no investimento ) será cada vez mais difícil de atingir, porque devido ao ritmo do desenvolvimento tecnológico será necessário ao Produtor Capitalista realizar constantes investimentos, para suportar a concorrência.         Como em longo prazo a concentração de capital, é uma característica do sistema Capitalista, o investimento será cada vez maior, o que levará a que à redução do capital constante se deva subtrair o investimento efetuado, logo em longo prazo V, não aumenta nem diminui, mas permanecerá constante.
Este fato será necessariamente verdade, a existir em longo prazo uma tendência para a concentração do Capital (parte III).
   A contradição surge precisamente na produtividade. O desenvolvimento de novas tecnologias incrementa a produtividade do trabalho. Ou seja, o valor que o trabalhador produz será superior. Porém o aumento de rendimento do trabalhador não será proporcional ao aumento da riqueza que produz, levando o produtor Capitalista a expropriar-se de um valor continuamente superior.
   O sistema Capitalista em termos teóricos a tendência para a aumento da taxa de lucro é devida ao aumento da expropriação do valor produzido pelo trabalho. Uma contradição do sistema capitalista é resolvida com o recurso a outra sua contradição.

As Contradições do Sistema Capitalista - Parte III

Monopolização do Capital

“Visto que a tendência do Capitalista é a acumulação, há uma tendência para a baixa dos preços.
   Se os preços descem, existem empresas que não podem produzir (pois não conseguem gerar lucros com esse nível de preços), como não conseguem produzir, desaparecem.
   Com o desaparecimento das empresas não competitivas, a Indústria tende a concentrar-se nas poucas empresas que conseguem acompanhar o nível de preços, mantendo-se lucrativas.
   Para Marx, a Contradição reside no fato de se perder a essência do Capitalismo. Pois deixa de haver concorrência há medida que a concentração aumenta.
   Aqui Marx tem toda a razão. Os Progressos tecnológicos e científicos levam a que os custos de produção das empresas baixem consideravelmente. Baixando os custos de produção, as empresas podem aplicar preços de venda mais baixos.
   Aquelas empresam que não conseguem acompanhar o ritmo, por não terem tecnologia suficiente, e principalmente capital para acompanhas as inovações Tecnológicas, são obrigadas a cessar a sua atividade (pois o novo nível de preços, não lhes permite acompanhar as empresas mais modernas).
   A Tendência do Capitalismo é, pois a concentração, pois nem todos conseguem acompanhar o progresso tecnológico, e a descida dos preços de produção, sendo forçadas a abdicar da atividade. "
   Concentração conduz à Monopolização do Capital. Concentração dos meios de produção leva à concentração do poder de decisão. Concentração do poder de decisão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário