Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 12 de dezembro de 2009

Pragmatismo, sua Influência e a Postura das Escrituras com Relação a essa Corrente Filosófica

                                                            O PRAGMATISMO
Essa foi uma corrente filosófica que nasceu no final do século XIX, nos EUA. Na verdade, esse movimento filosófico pode ser considerado a maior contribuição do pensamento norte-americano a Filosofa Ocidental. Em sua base epistemológica, encontran-se o empirismo inglês do século XVII e o Positivismo do Século XIX.

Muito embora existam cerca de treze concepções diferentes, poderíamos dizer que, para os pragmatistas em geral, a verdade de uma proposição afirma-se pela sua eficácia, ou seja, válidos são os conhecimentos que produzem resultados. Para eles pensamento e ação são inseparáveis. Portanto, são contra toda forma de conhecimento de caráter especulativo. Logo, a Filosofia não ocupava um lugar de destaque para eles também. Vejamos, nas palavras de Willian James, que utilizou inicialmente esse conceito, como ele define:

O pragmatismo (...) desvia-se da abstração; de tudo o que torna o pensamento inadequado. Soluções verbais, más razões a priori, sistemas fechados e firmes; de tudo o que é por assim dizer, um absoluto ou uma pretensa origem, para voltar-se na direção do pensamento concreto e adequado, dos fatos, da solução eficaz (JAMES, Apoud RUSS, 1991, p. 225).

Essa forma de pensar influenciou muito a cultura brasileira ao longo do século XX. Mas, porque isso ocorreu? É notório, para todos nós que houve uma invasão cultural norte-americana não apenas no Brasil, mas em vários países. Como decorrência dessa invasão, o espectro da Filosofia brasileira não passou incólume. Por isso essa forma de pensar acabou atingindo não só as Universidades como também o cotidiano das pessoas e infelizmente, até mesmo muitas igrejas evangélicas embarcaram nessa.

O pragmatismo valoriza aquilo que dá resultado imediato e que vem ao encontro dos seus interesses. Dessa forma, pensar de forma pragmática é ser transigente, sempre que nossos interesses estão em jogo. É agir conforme conveniência, sem reflexão a partir dos valores éticos.

Muito embora o início do pragmatismo tenha surgido como uma concepção epistemológica para justificar determinada concepção de ciência, essa construção teórica passou a orientar as ações dos atores sociais.

Os principais representantes do pragmatismo foram Charles Peirce, Willian James, George Herber Mead e John Dewey.

A Influência do Pragmatismo

Para a sociedade moderna influenciada pelo pragmatismo o que importa é o resultado final e não o processo. Muitas pessoas hoje paralelamente ao tratamento médico tradicional estão também procurando pais de santos, igrejas evangélicas, medicinas alternativas, e outras coisas mais, pois o que importa não é o meio através do qual se obtém o resultado.

Assim também o homem moderno tem lidado consigo mesmo em suas questões emocionais e espirituais. Muitos têm agarrado sem vacilar ao que lhes promete resultados imediatos, seja na forma de um livro que os leve a prosperidade financeira, seja na forma de um curso que os conduza a relacionamentos perfeitos, ou seja, até mesmo na forma de uma palestra “evangélica” que lhes garanta vitória imediata sobre tudo e todos.

O grande problema do pragmatismo na minha opinião e isso falando de forma bem prática, é que as pessoas influenciadas por essa corrente filosófica estão na verdade preocupadas com o resultado, com os fins, os meios não importam, quais os meio serão utilizados para alçarem seus interesses isso é irrelevante, e se for preciso prejudicar alguém, mentir, surrupiar, enganar, pisar, ou qualquer outra coisa mais, semelhantes a essa para conseguir seus objetivos será feito por que o que importa é alcançar o “meu interesse”.

Postura Bíblica

A preocupação com os resultados imediatos do homem de nosso tempo influenciados pelo pragmatismo se mostra em franca oposição à forma como Deus lida com o preparo de seus servos como José, Moisés, Davi, Pedro, Paulo entre outros

Se examinarmos a história destes homens, vamos ver que para Deus o processo é tão importante quanto os resultados. Através das circunstâncias adversas e dos anos, Deus está constantemente escrevendo uma história que o glorifique.

O imediatismo pragmático de nossos dias não consegue conceber um Deus que permite que José fique durante tantos anos numa prisão no Egito.

Mas foram necessárias circunstâncias adversas e o tempo para que tivéssemos uma das histórias bíblicas mais lindas e inspiradoras.

E como ler a história de Paulo pela ótica imediatista e pragmática de nossa sociedade.

Assim sendo, devemos considerar que muitas vezes as dificuldades, as crises as enfermidades fazem parte do propósito de Deus para as nossas vidas, não existindo a necessidade da busca imediatista e pragmática, muito pelo contrário, de uma fé que confia que mesmo quando não entendemos o que está acontecendo, Deus está como o controle de todas as coisas e no tempo certo há de se manifestar como Deus poderoso e grande







Nenhum comentário:

Postar um comentário