Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 8 de outubro de 2013

A REPÚBLICA A FAVOR DOS CORONÉIS – PRIMEIRA REPÚBLICA.

ü  LINHA DO TEMPO DA HISTÓRIA DO BRASIL

             Período Colonial                  Período Monárquico               Período Republicano        Era Vargas             Período Democrático
1500_________1822___________1889__________1930_____1945_________1964
Período do Regime Militar                 Período da Nova República
______________1985______________2013.
1500 – Descobrimento do Brasil.
1822 – Independência do Brasil
1889 – Proclamação da República
1930 – Governo Vargas
1945 – Renúncia da Getúlio Vargas
1964 – Golpe Militar
1985 – Fim do Regime Militar, Tancredo Neves é eleito presidente.
2013.
I.     OLIGARQUIAS NO PODER
1.     Pouca Mudança com a Proclamação da República
ü O País continua Rural.
ü Os fazendeiros se mantiveram no poder Político.
2.    Os Dois Períodos da República
República da Espada (1889-1894) – Período dos dois primeiro presidentes que foram militares. Mal. Deodoro da Fonseca e Mal. Floriano Peixoto.
Governo de Marechal Deodoro da Fonseca (1889-1891)
ü Grande Naturalização
ü Separação da Igreja e Estado
ü Elaboração da Primeira Constituição Republicana de 1891
Constituição de 1981 – Característica.
ü Federalismo
ü Presidencialismo
ü Três Poderes – Legislativo, Judiciário, Executivo.
ü Voto aberto – Não secreto.


Encilhamento – (Rui Barbosa)
Objetivo Industrialização
Meios – Emissão Monetária, fazendo a moeda desvalorizar.
Consequências – Crise Econômica, Inflação,
Governo Floriano Peixoto (1891-1894)
ü Assume sem Eleições.
ü Governa com mãos de Ferro.
República Oligárquica (1895-1930) – Período em que prevaleceu o interesse dos grandes coronéis.
Esse período pode ser chamado também de República Velha, foi utilizada depois que Vargas assume o poder em 1930.
Neste período prevaleceram as oligarquias “governo de poucos” o governo das elites latifundiárias, dos grandes fazendeiros, dos coronéis – CORONELISMO.
II.  ASPECTOS GERAIS DA POLÍTICA NA PRIMEIRA REPÚBLICA.
VOTO DE CABRESTO: na República Velha, o sistema eleitoral era muito frágil e fácil de ser manipulado. Como o voto era aberto, os coronéis mandavam capangas para os locais de votação, com objetivo de intimidar os eleitores e ganhar votos. As regiões controladas politicamente pelos coronéis eram conhecidas como currais eleitorais.
FRAUDE ELEITORAL: os coronéis costumam alterar votos, sumir com urnas e até mesmo patrocinavam a prática do voto fantasma. Este último consistia na falsificação de documentos para que pessoas pudessem votar várias vezes ou até mesmo utilizar o nome de falecidos nas votações.
CLIENTELISMO – Voto em troca de Pequenos favores ou “presentes”
“DEGOLA” - Essa corrupção eleitoral foi alicerçada com a criação da Comissão Verificadora de Poderes, que tinha o objetivo de contribuir para a eleição dos candidatos indicados pelos coronéis. Diante disso, essa comissão impedia que muitos candidatos vitoriosos nas urnas assumissem o cargo, pelo fato de eles não terem sido indicados pelos ricos fazendeiros e, por isso, eram “degolados”, ou seja, impedidos de tomar posse.
DESPOTISMO POLÍTICO: Os coronéis podiam ocupar vários cargos políticos importantes, além de indicar parentes, para cargos importantes, como vereadores, chefes de polícia, deputados e prefeitos.
     Poderiam também assumir cargos de grande influência como senadores e até mesmo presidentes.
POLÍTICA DOS GOVERNADORES: Os governadores dos estados e o presidente da República faziam acordos políticos, na base da troca de favores, para governarem de forma tranquila. Os governadores não faziam oposição ao governo central e ganhavam, em troca deste apoio, liberação de verbas federais. Esta prática foi criada pelo presidente Campos Sales (1898-1902) e fortaleceu o poder dos coronéis em seus estados.
     A Política dos Governadores estabelecia que os grupos políticos que governavam os estados dariam irrestrito apoio ao presidente da República, em contrapartida o governo federal só reconheceria a vitória nas eleições dos candidatos ao cargo de deputado federal pertencentes aos grupos que o apoiavam.
III.             A POLÍTICA DO CAFÉ COM LEITE
O que era essa Política?
     Acordo firmado entre as oligarquias estaduais e o governo federal durante a República Velha para que os presidentes da República fossem escolhidos entre os políticos de São Paulo e Minas Gerais.
Por quê?
     São Paulo era o maior produtor de café e consequentemente, tinha os maiores e mais poderosos cafeicultores do Brasil.
     Minas Gerais, grande produtor de Leite e seus derivados, além do gado que juntamente com o café, eram os produtos que mais se destacavam no mercado internacional.
     Essa hegemonia econômica deu muito poderes a estes Estados fazendo com que os presidentes fossem arranjados pelos coronéis destes Estados.
Partidos Políticos
PRP – Partidos Republicanos Paulista
PRM – Partido Republicano Mineiro.
     As oligarquias de cada Estado se uniram em torno destes partidos políticos. Estes partidos firmaram alianças se tornando poderosos e indicando presidentes.
De 1894 – 1906 – Presidentes Paulistas
De 1906 – 1930 – 4 presidentes Mineiros, 1 Gaúcho, 1 Paraibano, 1 Carioca, mas com Carreira política sem São Paulo.
Convênio de Taubaté
     Acordo firmado entre Minas, São Paulo, Rio de Janeiro para a valorização do Café.

O que Era este Acordo?
     O acordo previa que em caso de superprodução do café, o governo compraria safras excedentes com a intenção valorizar o café e consequentemente, aumentar o preço.
IV.             AS FÁBRICAS, AS CIDADES E AS TRANFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS.
1.     Grande Crescimento Industrial, principalmente em São Paulo por causa do café.
2.     Crescimento acompanhado por valores tradicionais dos Coronéis.
3.     As mudanças que ocorriam nas cidades afastavam as populações mais pobres que acabavam indo para as regiões periféricas – favelas.
4.    As maiores concentrações das fábricas eram nas regiões de SP, RJ.
5.    A Primeira Guerra Mundial contribuiu para o crescimento das indústrias no Brasil. O Brasil também lucrou muito exportando matérias-primas para os países em guerra como, por exemplo, e principalmente, a borracha. Também exportou muitos produtos agrícolas (café, cacau e açúcar).
6.    Mesmo vivendo em uma sociedade Patriarcal as mulheres começaram a ocupar espaço no mercado de trabalho
7.    A Prática do Esporte adquiriu grande prestígio neste período em função da preocupação com a saúde e o corpo. O futebol (1894) passou a se tornar um esporte muito popular.
8.    Valorização de práticas Sanitaristas que visavam à limpeza  e o controle de doenças, porém estas práticas eram discriminatórias, pois eram relacionadas aos pobres.
9.    Todas as mudanças que acontecem nesse período eram motivadas pelas elites que procuravam se adequar a modernização acontecida na Europa, porém, essas modernizações aconteciam somente dentro dos interesses destas elites, isolando sempre o povo.
V.  A IMIGRAÇÃO CONTINUA NA REPÚBLICA
·    A Imigração foi intensa desde o tempo da monarquia, entre 1889 e 1914, milhares de imigrante entraram no país.
·    Foi marcada por maus tratos, principalmente nas fazendas de café.
·    Devido aos maus tratos, os países criaram lei de que a ida de imigrante só poderia acontecer se o governo brasileiro financiasse.
·    Diversos povos imigraram para o Brasil. Na primeira metade do século XIX, alemães, suíços e etc. Século XX grande quantidade de Italianos, nas primeiras décadas do século XX, Espanhóis e portugueses. Em 1908 Japoneses. Depois chegaram Sírios, libaneses, judeus etc.
·    Influenciaram muito com suas culturas em diversas partes do Brasil.
·    A riqueza do café e o investimento em outras áreas em São Paulo atraíram muitos imigrantes para este Estado que deixaram suas marcas até os dias de hoje.
·    Os imigrantes se inseriram em várias atividades industriais e comerciais, diferentemente dos negros que foram marginalizados e não havia espaço para sua cultura. Ideologias racistas tiveram grande desenvolvimento neste período.
6. MOVIMENTO OPERÁRIO
·    Condições dos trabalhadores eram péssimas nas primeiras décadas do Séc. XX: Baixos Salários, Serviços Pesados, Carga Horária Alta, Trabalho sem Descanso.
·    Os trabalhadores se organizaram em associações de classe reivindicando melhores condições de trabalho, fazendo greve.
·    As greves eram duramente reprimidos, e investigados seus líderes.
·    Em 1917 houve uma Greve Geral em São Paulo que levou 100 mil trabalhadores a pararem suas atividades, população de 550 mil habitantes.
·    Em função das greves mudanças aconteceram, como aumentos salariais e foi percebida por vários setores que os operários eram uma grande força no país.
·    Por influência do setor operariado surgiram vários movimentos: O anarquismo (Negam o Estado) e o Comunismo, através do PCB, que defendia a ditadura do proletariado, recebeu grande influência da Revolução Russa de 1917.
7. A POLÍTICA INDIGENISTA
·    Os Índios eram considerados atrasados e impediriam o progresso do país, além disso, suas terras deveriam ser utilizadas para aumentar as lavouras e produção do país.
·    Surgiram discursos radicais de extermínio dos povos indígenas;
·    Existia aqueles que defendiam a necessidade preservar a vida dos índios, entretanto estes achavam que eles deveriam ser “civilizados”.
·    O grande líder das causas indígenas foi Candido Rondon, influenciado pela ideia positivista, queria preservar vida dos índios, mas estes deveriam ser “civilizados”.
·    Foi criada SPI – serviço de proteção ao índio, órgão de proteção ao índio, líder Cândido Rondon.


Nenhum comentário:

Postar um comentário